Sobre a Estrela
Desde 1937 a Estrela está presente na memória de quem é ou foi criança, formando gerações na convivência com bonecas, carrinhos, jogos, massinha, pelúcias e outros brinquedos.

Conheça a história da empresa e confira os produtos que marcaram diversas gerações.

Fatos marcantes da história da Estrela
A nossa história começa no dia 27 de Junho de 1937, na fundação de uma modesta fábrica de bonecas de pano e carrinhos de madeira e, em poucos anos, acompanhando a evolução industrial do País, a Estrela passou a ser uma indústria automatizada e a produzir brinquedos também de plásticos, metal e outros materiais. Numa viagem no tempo é possível identificar até a própria evolução da sociedade em termos de costumes, moda, meios de transportes, tecnologia etc. Muitas crianças quiseram brincar de ser a Susi, desejaram ter um Autorama que ocupasse seu quarto ou torceram para ganhar de Natal um carro rádio-controlado como o Colossus, sucesso dos anos 80. A Estrela já produziu milhares de brinquedos diferentes e contabiliza hoje mais de bilhões de itens vendidos, entre clássicos que fizeram parte da infância de muitos brasileiros. Afinal, quem não se lembra dos possantes Maximus, Colossus, Stratus e Pégasus; Falcon , Comandos em Ação, Topo Gigio, das bonecas Mãezinha, Gui Gui e Bate Palminha ou do jogo Aquaplay? Ao longo dos anos, a Estrela construiu a força de sua marca combinando qualidade, pioneirismo e inovação na oferta de brinquedos ao mercado brasileiro. Nossa trajetória é identificada por inúmeros marcos de liderança, tendo sido, inclusive, uma das primeiras companhias brasileiras a abrir capital em 1944, construindo-se em sociedade anônima.

Confira os destaques por décadas

Anos 30
Entre as preciosidades desta mostra está uma das primeiras bonecas produzidas no Brasil, medindo 38 cm, com corpo de tecido e rosto de massa.

Anos 40
Na década de 40, a Estrela apresentou o primeiro brinquedo de madeira com movimento e som fabricado no país: o cachorro Mimoso. Logo depois, vieram outros lançamentos importantes como o jogo Pega Varetas, cuja primeira versão data do século V a.C., e o Banco Imobiliário (lançado em 1944), o mais vendido jogo de tabuleiro do mundo. É também dessa década o lançamento de massa de modelar, a Super Massa, em 1946.

Anos 50
As bonecas, que até o final dos anos 40 eram feitas em uma massa inquebrável, passaram a ser de plástico a partir da Pupi, uma boneca articulada de poliestireno que “dormia e chorava”, lançada no início da década de 50. Pupi também ganhou uma versão Palhaço (1954), no mesmo material. Bebê que anda (1951) é um dos primeiros bebês com movimento. Lançado na década de 50, ele andava graças a uma engrenagem de ferro. Na mesma década foi lançada a Bonequinha Plastrela, feita de plastiflex, uma revolucionária matéria-prima da época. Vieram em seguida, os bichinhos e bonecos de vinil, mais flexíveis, indicados para crianças pequenas e bebês. Em 1952, começaram a ser fabricadas maquininhas de costura que costuravam de verdade. Os produtos de madeira mantinham destaque especial.

Anos 60
Nos anos 60 a linha foi ampliada com muitos lançamentos inovadores, como a primeira boneca mecânica, a Gui Gui, que ”ria” quando a criança abria e fechava seus braços. Também é dessa época a Beijoca, que “soltava beijinhos” e a Amiguinha, que ficou famosa por seu tamanho – 90 centímetros. A Estrela introduziu, nesse período, outro conceito de grande sucesso, o de fashion doll, com a Susi (1966), uma boneca querida por diversas gerações até 1985, quando deixou de ser fabricada, com mais de 20 milhões de unidades distribuídas. A Susi voltou a ser lançada em 1997. Algumas bonecas tematizadas foram lançadas nessa década, tais como: Mary Poppins (1966), baseada na personagem principal do admirável filme de Walt Disney de mesmo nome; Miss Universo 63, uma homenagem à gaúcha Ieda Vargas, considerada a eterna miss universo brasileira; Wandeka, inspirada na cantora Wanderléia, a rainha da Jovem-Guarda e, Tremendão que fazia alusão ao cantor Erasmo Carlos. Outra inovação da Estrela foi o lançamento de brinquedos elétricos, dentre os quais é marcante o Autorama, com pistas de corrida e carrinhos para desafiar a habilidade das crianças. Este lançamento foi tão importante que virou sinônimo de categoria. Hoje está em quase todos os dicionários brasileiros.

Anos 70
Em 1970 chegou ao mercado a Flexy, uma mini boneca totalmente flexível. Pepa (1979), foi outra boneca que representou um personagem de TV (Pepita Rodrigues, em novela da Rede Globo). São dessa década muitos lançamentos de produtos queridos até hoje, tais como: Bebê Gatinhando(1970), Feijãozinho (1973), Mãezinha (1971), Amelinha (1972), Lalá e Lulu (1973), Emília (1978), Bailarina (1979), jogo Du-Elo (1974), Buggy Biruta (1972), entre outros. Houve também o ratinho Topo Gigio, um estrondoso sucesso de 1970, personagem de um programa de TV na época. A Estrela passou a trabalhar o conceito de figuras de ação nessa década. Essa categoria teve seu marco com o lançamento do Falcon (1977), o primeiro boneco da marca. No final dos anos 70, surgiram os carros rádio-controlados, que teve o Stratus (1979) como o primeiro modelo lançado.

Anos 80
Em 1980, mais um marco do ineditismo: a chegada do Genius, na época conhecido como “o computador que fala”, primeiro brinquedo eletrônico do país. Seguido de Merlin(1981), outro jogo eletrônico que marcou época. Ar-Tur foi um robô que virou mania no início da década de 80, com automovimento. Pégasus, de 1984, foi outro carro rádio-controlado de sucesso, seguido de Colossus (1985). Veículos interessantes também lançados na década de 80 foram: Dragão (1987), Trombada(1987), Anfíbius (1989) e Elastikon (1988). O retorno de Pedrita e Bam-Bam (1981) à coleção também marcou época (produtos originalmente lançados na década de 60). Em 1985, uma das coqueluches entre as crianças foi a boneca Quem me Quer. Snif (1986) também foi um destaque da década, era um cachorro em pelúcia. Além dele, outros destaques da época são: cãozinho Abelhudo (1982), o Snoopy (1984), a Ambulância do Dr Saratudo (1985), o jogo Boca Rica (1984) e o Elo Maluco(1981). A eletrônica foi incorporada às bonecas, que passaram a ser mais interativas em modelos como a Amore a primeira boneca eletrônica do Brasil; a Bate Palminha, que cantava quando suas mãos se juntavam, e a Tchibum (1986), boneca que “nadava” de verdade. Em 1985, os cabelos de boneca passaram a ser feitos de nylon. A partir das séries televisivas de sucesso entre a criançada, mais figuras de ação foram lançadas, entre elas Comandos em Ação (1985) e outros personagens da TV como He Man (1986).

Anos 90
Entre as inovações que causaram maior frisson está a Sapequinha(1996), primeira boneca a utilizar fibra óptica e foto sensor para “perceber” a aproximação da criança. Dancin’Flor (1990) é uma flor dançante, que fez muito sucesso. A Patrulha do Focinho, de 91, uma turma de cachorrinhos que mudavam de feições foi outro marco da Estrela. As bonecas Bolachinha (1992) e Zic Zac (1991) foram também produtos consagrados pelo mercado consumidor, bem como o jogo Batata Quente (1990). Outros produtos com enorme aceitação na época foram o jogo Galinha Maluca (1991) e o robô Trony (1994).

Anos 2000
Jogos renovados, repaginação de clássicos como o Banco Imobiliário, entre outras novidades, fizeram parte dessa década. Muitas gerações já ficaram milionárias ou foram à falência em um tabuleiro de Banco Imobiliário, se casaram e tiveram filhos no Jogo da Vida, e descobriram que o assassino era o Coronel Mostarda, no Detetive. A Estrela marcou presença nos primeiros anos das crianças com brinquedos educativos e ao mesmo tempo cheios de diversão para esse público. Fazem parte da história o Coelho Jojô, Laptop Educativo e Andador do Bebê. De carona nos Jogos Olímpicos de 2008, a Estrela provou também ser high tech, com o simulador de provas olímpicas e o palm top da Susi, entre outros brinquedos.

2010
A iniciativa da Estrela de atrelar os elementos eletrônicos a seus tradicionais jogos de tabuleiro começou em 2010, quando o Super Banco Imobiliário, lançado em meados de julho, fez tanto sucesso que vendeu quatro vezes mais do que a previsão inicial da empresa. Na brincadeira, as notinhas de papel do jogo, que está no mercado brasileiro desde 1944, foram substituídas por cartões de crédito e débito e uma maquininha que realiza as operações financeiras das partidas. Brinquedos colecionáveis da Estrela também fazem sucesso. De quebra-cabeças a releituras de personagens da Disney, a Estrela tem investido em produtos voltados tanto para o entretenimento quanto para o hobby de colecionar. Para crianças e adultos fãs de cultura pop e arte foi criada a linha de quebra-cabeças com obras assinadas por Tarsila do Amaral, Gustavo Rosa e Cândido Portinari, além de imagens icônicas dos Beatles. Cada tema tem três quebra-cabeças diferentes, em 500, 1000 e 2000 peças. Na categoria de pelúcias, Michelangelo, Donatello, Leonardo e Raphael compõem a coleção Tartarugas Ninja. Os irmãos mutantes medem 45 cm e têm caixas individuais. Também em pelúcia, os Tsum Tsum, releituras de personagens da Disney, foram feitos para empilhar e colecionar. Fofos, cilíndricos e engraçados, o Mickey, Minnie, Pato Donald, Alice, Pooh – e diversos outros personagens de desenhos clássicos e filmes – chegam em 11 cm e 30 cm.

HOJE
A Estrela chega aos 80 anos em 2017 celebrando com suas diversas gerações de consumidores e reeditando clássicos. Entre os jogos, foram escolhidos para representar a Coleção 80 anos o Banco Imobiliário e o Jogo da Vida. Na linha de bonecas, para marcar os 80 anos da Estrela, foram selecionadas a coleção Moranguinho, Fofolete, Susi, celebrando os 50 anos de seu lançamento, a Gui Gui e a Tippy. Com o maior crescimento interno na empresa nos últimos anos, 38% somente em 2016, a linha de massas de modelar, Super Massa, tem como astro o Dr. Opera Tudo. Também fazem parte das justas homenagens à empresa, que é sinônimo de brinquedo no Brasil desde 1937, Genius, Ferrorama nas versões XP100 e XP300, o relançado Falcon e o carrinho Pé na Tábua. A cada dez Jogosmais vendidos no Brasil, oito são da Estrela, e devido a nossa atenção no segmento, contamos com licenças de peso como MasterChef e Porta dos Fundos lançados em 2016. A série de jogos é ainda mais vibrante, como a própria linha de produção da empresa, que não para de se reinventar e refletir nossa própria sociedade e costumes, com os aplicativos inseridos nos clássicos de tabuleiro Detetive, Banco Imobiliário e Jogo da Vida. As licenças continuam no catálogo da Estrela, como Masha e o Urso,O Show da Luna, Peppa Pig, e, mais recentemente, Zak Storm, Hotel Transilvânia 3, Marvel e a novela Poliana, do SBT. A parceria com youtubers em jogos também faz parte da estratégia e contínua atualização da empresa. Daniel Mologni e Lukas Marques, com Você Sabia?; Felipe Castanhari, com o Nostalgia. Nomes importantes, como o quadro Quem Quer Ser Um Milionário? do programa Caldeirão do Huck, apresentado pelo Luciano Huck; e o navegador Amyr Klink com o Latitude 90º o jogo dos polos , que representa suas aventuras nos extremos do planeta.

Casa dos Sonhos
A Casa dos Sonhos proporcionou ao público uma divertida viagem pela história de Estrela, mostrando os brinquedos que fazem e fizeram parte do sonho de milhões de pessoas no Brasil e no mundo. As atividades da Casa dos Sonhos funcionaram de 2001 a 2006 na cidade de São Paulo.

Escritório Central
Atualmente um escritório central na cidade de São Paulo funciona como a sede da inteligência da companhia, que mantém suas áreas de Presidência, Marketing, E-commerce, Vendas, Novos Negócios e CEAC (Centro Estrela de Atendimento ao Consumidor).

Fábricas
Após encerrar as atividades no Parque Novo Mundo, na capital paulistana, a Estrela iniciou operação fabril no interior de São Paulo, na cidade de Itapira, em julho de 2003. Essa unidade está instalada numa área de 130 mil m2, distribuídos entre linha de montagem, depósito, administração e área de apoio (refeitório e vestiários). Esta fábrica faz parte do projeto de expansão da companhia que também possui outras duas unidades: em Ribeirópolis – SE e em Três Pontas – MG. A fábrica de Três Pontas, no sul de Minas Gerais, conta com 13,2 mil m2, em um terreno de 100 mil m2, e dobrou a oferta de empregos na região. A inauguração da segunda maior unidade da companhia no país ocorreu em janeiro de 2004. A implantação desta unidade completa a estratégia da empresa que, com maior competitividade, objetiva crescer em exportações e ampliar as vendas ao mercado interno. “A Estrela continua firme nos seus propósitos de valorizar o mercado nacional, gerando empregos e contribuindo para o real desenvolvimento do Brasil”, informa Carlos Tilkian, presidente da Brinquedos Estrela.

Atendimento ao Consumidor

O CEAC - Centro Estrela de Atendimento ao Consumidor - da Brinquedos Estrela foi um dos pioneiros no atendimento de consumidores por meio de redes sociais e do portal Reclame Aqui. Desde o primeiro ano da premiação Época Reclame Aqui a Estrela é premiada e já ganhou duas vezes o prêmio máximo de Super Campeã de Atendimento. Confira a relação completa de prêmios:

  • Prêmio Revista Época/ReclameAqui 2017 - Super Campeã de Atendimento
  • Prêmio Revista Época/ReclameAqui 2017 - Categoria Brinquedos, Jogos e Games - Fabricante
  • Prêmio Revista Época/ReclameAqui 2016 - Super Campeã de Atendimento
  • Prêmio Revista Época/ReclameAqui 2016 – Categoria Brinquedos, Jogos e Games - Fabricante
  • Prêmio Revista Época/ReclameAqui 2015 - Categoria Brinquedos, Jogos e Games - Fabricante
  • Prêmio Revista Época/ReclameAqui 2014 – Categoria Brinquedos, Jogos e Games - Fabricante
  • Prêmio Revista Época/ReclameAqui 2013 - Categoria Brinquedos, Jogos e Games - Fabricante
  • Prêmio Revista Época/ReclameAqui 2012 - Super Campeã de Atendimento
  • Prêmio Revista Época/ReclameAqui 2012 - Categoria Brinquedos, Jogos e Games - Fabricante
  • Prêmio Revista Época/ReclameAqui 2011 - Brinquedos, Jogos e Games – Fabricante

Qualidade
Em 1992, a Estrela fez a adequação do seu Sistema de Qualidade às Normas ISO 9001, recebendo o certificado de Sistema de Qualidade no. CE-SIQ-008/93, tornando-se a primeira empresa do ramo de brinquedos a receber este certificado.

ISO 9001:2000
A Estrela tornou-se a primeira empresa do ramo de brinquedos a receber esse certificado. A ISO 9001 é um sistema de qualidade, modelo para garantia da qualidade em produção, instalação e serviços. A Estrela conseguiu este certificado de qualidade por meio da implantação de todas as normas NBR ISO 9001, ABNT-ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS; de acordo com a auditoria de certificação por empresas certificadoras e auditorias periódicas após a certificação. Dessa forma, com a posse desse certificado, a Estrela assegura aos clientes a confiabilidade de qualidade dos produtos e serviços, além de gerar maior credibilidade junto aos fornecedores, visando expansão de mercado, competitividade e, mantendo sob equilíbrio os fatores técnicos, administrativos e humanos. Quando aos funcionários, gera qualidade nos serviços, com treinamento, responsabilidade e envolvimento de toda equipe.

Política de Qualidade
Todos os colaboradores da empresa devem trabalhar comprometidos em satisfazer os seguintes requisitos:

  • A busca da satisfação do consumidor;
  • O engajamento dos colaboradores;
  • A procura constante por novos produtos;
  • A parceria com provedores internos e externos;
  • A busca pela melhoria contínua.

Sistema de Qualidade Estrela
O Sistema de Qualidade visa estabelecer, documentar e implementar as atividades que influem na qualidade dos produtos da Estrela e identificar os responsáveis pela execução e verificação das mesmas. Para que isso ocorra os procedimentos que fazem parte do Sistema da Qualidade garantem a abrangência e o grau de detalhamento, levando-se em conta a complexidade e método de trabalho, assim como habilidade e consequentemente treinamentos necessários para os envolvidos no sistema. Como a Portaria no. 47 de 13/03/92 do instituto Nacional de Metrologia e Normalização Qualidade Industrial (INMETRO) a Estrela decidiu fazer o credenciamento de seus Laboratórios na Rede Brasileira de Laboratórios de Calibração/Ensaios (RBCE) para poder realizar todos os ensaios previstos na norma de segurança do brinquedo NBR 11786, e garantir a qualidade de seus produtos. Recebeu o Certificado de Entidade Credenciada no. CRLF-010/93. Em 1993, a Estrela recebeu a Marca Nacional de Conformidade através da licença para o uso da marca no. AJ-BRI-001/93. Para preservar a integridade física da criança, a Estrela realiza os seguintes testes na produção dos brinquedos:

  • Físicos;
  • Mecânicos;
  • Químicos;
  • Elétricos;
  • Verificação de rotulagem;
  • Identificação do fabricante.

Temos como obrigação, perante a legislação, de minimizar o risco através da NORMA citada acima. O produto deve ser adequado à determinada faixa etária para evitar risco de acidentes com o usuário do produto.